quarta-feira, 2 de julho de 2014

Resenha: Doce vampiro


Finbar Frame é um garoto de 16 anos, tímido, magro, alto, extremamente pálido (ele se descreve como uma folha de papel coberta por Liquid Paper), alérgico ao sol e com problemas de relacionamento, principalmente com as garotas.
Finn tem um irmão gêmeo, Luke, que é completamente o oposto dele. Luke tem um físico de dar inveja, vive em festas, se destaca nos esportes e arrasa corações, enquanto Finbar nem mesmo beijou uma garota.
Quando os pais dele (que são hilários) resolvem mudar de cidade, Finn decide começar uma vida nova. Ele quer atrair garotas e acha uma maneira um tanto quanto inusitada para isso: fingir que é um vampiro.

"(...) Para falar a verdade, eu não sabia nem abrir um sutiã. Mas, quando o negócio era ser pálido e ter cara de morto, quando o assunto era ser fora de moda e um pouco estranho, eu poderia seguir essa tendência como ninguém.
Eu me transformaria num vampiro."


De fato, muitos dos seus colegas de escola acreditam que ele é mesmo um vampiro e Finn percebe o quanto isso pode ser complicado, ainda mais quando ele conhece Kate.

"Todos os meus neurônios estavam em êxtase e festejando pela alegria de saber que eu, Finbar Frame, ia sair com a Kate."

O livro tem uma narrativa leve, fácil e divertida. Risadas do início ao fim (com um enredo desses, não poderia ser diferente...).
Por algumas vezes, me peguei gargalhando em frente ao livro. Realmente cômico e super-recomendado.

terça-feira, 24 de junho de 2014

Resenha: Instituição para Jovens Prodígios - A seleção



Lara Müller é uma garota simples, do subúrbio do Rio de Janeiro. Ela sempre se destacou pela sua inteligência na escola e sonha em dar uma vida melhor para seus pais. Quando a Instituição para Jovens Prodígios, na Inglaterra, abre vagas para estudantes do mundo todo, Lara vê ali uma chance de realizar esse sonho.

"As inscrições logo estariam abertas. Sua mãe insistira que ela decidisse de uma vez. A garota acabara se acostumando com a frase que ela usava quase que diariamente: "É uma oportunidade única na vida, filha!". A garota sabia disso e tinha medo. Medo de não passar e sentir-se vazia, sem conteúdo. Afinal, a inteligência era a coisa mais importante que tinha. Na verdade, era a única coisa mais importante e que valorizava em si. Ela se orgulhava disso. Então falhar não podia ser uma opção. Se fosse tentar, seria para passar."

É aí que a vida de Lara se transforma totalmente.
Na Instituição, Lara encontra a outra brasileira que passou para a prova, Irene. Elas se tornam grandes amigas. Conhece também o inglês Hugh e o americano Patrick.

Coisas estranhas começam a acontecer com Lara. Sente um sono excessivo, a miopia sumiu, acaba criando algumas inimizades sem motivo... Mas com certeza nada disso é mais estranho do que conversar com um pombo. Exatamente. Com razão, Lara começa a achar que está ficando louca. O que está acontecendo com ela? Você terá que ler para saber.

"Esse lugar está me fazendo mal, concluiu sentando-se em um dos inúmeros bancos de pedra absurdamente gelados espalhados pelo jardim. Suspirou e fechou os olhos. Não havia motivos para entrar em pânico. Bom, na verdade havia. Um pombo falara com ela! Isso não era considerado normal, certo?"

O livro nacional tem uma narrativa mais lenta no começo, onde nos é apresentada a família e a vida de Lara antes da Instituição. À medida que a história vai avançando, vai intensificando de um modo que não te deixa largar o livro.


Instituição para Jovens Prodígios está recomendadíssimo.

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Uma vingança global

A homônima telessérie de Mike Kelley retorna à TV aberta


Depois do final de sua segunda temporada na Globo, Revenge ficou fora das telas por algum tempo, mas na segunda-feira passada(09) voltou a ser apresentada na emissora de segunda à sexta, após o Jornal Hoje.


É de se presumir que a Rede Globo estava esperando o tão aguardado final da temporada atual (que ainda não estava disponível quando apresentou o último episódio da segunda) para poder comprar os direitos da série e a mudança no cronograma (mais frequentes, apesar do horário relativamente tarde) mostra que – enquanto estava no ar – Revenge rendeu bons pontos em audiência para o canal (pelo menos da minha parte).

Confira aqui a primeira matéria da divulgação da emissora no seu site oficial e abaixo você pode ler a sinopse da terceira temporada.

"Emily nunca esteve tão perto de concretizar sua vingança, após sua confissão a Jack tudo ficou mais simples. Patrick, filho do primeiro relacionamento de Victória retorna, e logo se envolve com Nolan Ross, que após uma temporada na cadeia é solto. Com a ajuda de Aiden , Emily consegue manter seu objetivo em vista, contudo, antigos inimigos ressurgem e uma antiga paixão de Daniel volta, e esse novo verão nos Hamptons pode acabar não saindo como planejado."

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Playlist #2

Leitores, como vocês estão?

Hoje viemos trazer para vocês uma playlist com 5 músicas boas! 

E para conferir vocês já sabem, é só clicar no play! ;)


segunda-feira, 16 de junho de 2014

Belle - Lesley Pearse

É preciso coragem para perder a inocência


Exatamente o que está escrito na capa, traduz o livro: Coragem.





   Excelente do começo ao fim. 560 páginas que mostram a história de ficção de Belle, que passa em New Orleans e Paris, mas que traduz a verdadeira história de milhares de jovens (de 12 à 16 anos) que foram vendidas para se tornarem prostitutas durante a febre do ouro da Califórnia e do Klondike e também em Paris, local em que 4 em 5 mulheres usavam esse recurso para sobrevivência na época. Também mostra o desespero e cumplicidade dos amigos que Belle deixou, e das pessoas que passaram pela vida dela durante a trajetória. (Leia mais em http://www.skoob.com.br/livro/246773-belle)


   É um livro angustiante... Por vezes eu parei de ler pra dar uma respirada e depois voltar. Por que? Lesley mostra sem piedade o que acontecia com as mulheres que eram vendidas. Ela não poupa detalhes, por isso, é necessário maturidade para ler o livro. 

   O livro demora pra "engrenar"... Ou seja, o desenrolar da história é um pouco demorado, acho que por isso o número grande de páginas, mas isso NÃO torna o livro cansativo.
Nota de 0 à 5.. 5 estrelinhas pro livro! favorito



   Outro ponto bacana... Mostra a frança com outros olhos. Tira da gente aquela imagem de que lá é perfeito, só tem pontos perfeitos e histórias lindas. Algumas vezes durante o livro há também citações em francês mas um tradutor ajuda.

   O design do livro é lindo, como puderam ver pelas fotos. Fica aqui a última pra dar mais vontade de ler.



 Citação favorita (com tradução pra ajudar hahaha)


"Ele segurou o rosto dela com as duas mãos e beijou-a com uma doçura grande demais para suportar. 
- Je défie les incendies, les inondations, et même l'enfer pour être avec vous (Eu enfrentaria o fogo, as inundações e até mesmo o inferno para estar com você) - ele murmurou ao soltá-la. - Agora, para o trem. Vá!"

Eu não vou deixar spoilers por aqui, ou falar mais sobre a história... Mas eu INDICO MUITO o livro, espero que todos leiam e passe pela experiência que passei!


Se cuidem,
~ Gabi
(skoob: Gabriele Sauthier)

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Sobre Malévola

Malévola é UAU!
Por que nem todas as bruxas são más.
Malévola conta a história de “A Bela Adormecida” num ângulo completamente novo, narra o classico na visão da Fada Madrinha mais sinistra de todos os tempos. A Fada era pura e boa, queria apenas viver em paz no seu mundo magico (o reino dos Moors) longe dos gananciosos humanos, mas ainda na adolescência conhece Stefan – um idiota ganancioso – e se apaixona, mas como um amigo me lembrou recentemente, esses lances de fadas e humanos juntos sempre acabam em merda, e foi exatamente o que aconteceu.
Depois de se apaixonarem, e Stefan decepcioná-la, ele volta para o reino dos humanos, Malévola, que um doce de pessoa, ainda é amada e admirada por ela todos, anos mais tarde se envolve numa guerra contra o rei – idiota – humano, que Stefan serve, a guerra é porque Vossa Majestade idiota quer dominar e destruir o reino dos Moors, Malévola, manda ele se afastar, porém rei – babacão – diz: “não aceito ordens de alguém com chifres” e manda seu exercito atacar, Malévola diz para seu povo se levantar e lutar. E que luta cara! 
Obviamente Malévola com suas asas super-demais, arrasa o exercito do rei duplamente babacão, e no meio da luta ainda fere o idiota. O exercito humano foge assustado. O rei humano em seu leito de morte diz que quem lhe trouxer a criatura alada morta, ele fará rei, e se casará com sua filha. 
Advinha? Stefan, o ganancioso, vai atrás de Malévola, pede perdão e diz que o rei a está caçando e a matará se ela não confiar nele, ela – por ainda achar que ele é seu verdadeiro amor – acaba acreditando, o cretino a coloca para dormir, e tenta mata-la, mas não tem coragem – acho que talvez por amá-la um pouco – porém faz algo muito pior, ele arranca fora suas asas. 
O rei babaca morre, mas antes coroa Stefan como novo rei babaca. Malévola, passa a odiar tremendamente os humanos. Nesse interim ela salva um Corvo (o famoso Corvo que aparece nas animaçõs e no livro) da morte ao transformá-lo em humano, ele fica grato e por isso passa a servi-la e ser “suas asas”. Uma espécie de informante que tudo vê, que é transformado em humano sempre que ela precisa de relatórios e em corvo para que possa voar e ver. 
Um dia ele conta que o rei Stefan – babaca-cruel – fará uma festa de batizado em homenagem à filha recém-nascida. Ela de coração partido como está, e doida para se vingar, decidi ir a festa. E depois de humilhar um pouquinho Stefan, amaldiçoa a princesinha. 
O Babaca-Cruel fica obcecado em vingança. E por isso manda as fadas que foram até o batizado para dar a benção à princesa, cria-la no meio da floresta, assim ela nunca irá concretizar a maldição. O que nem ele nem Malévola esperava era que as fadas fossem meio débil-mentais, e tão irresponsáveis na criação da “Praga” – forma carinhosa como Fada/Bruxa Má/Fada Madrinha a chama – o que faz Malévola, numa ironia muito grande, passar a cuidar em segredo da menina (o que é muito fofo).
Ela salva a Praga algumas vezes. Até que chega o dia que a curiosidade da criança, a leva a conhecer a espécie de vale encantado, que é o reino dos Moors. Aurora passa a conviver com “Fada Madrinha”, pois acredita que Malévola é sua fada madrinha. E adivinha? Malévola a dita sem coração, se encanta com a Praga, se encanta tanto, e quer tanto o seu bem, que certo dia decide desfazer a maldição, mas não dá certo, por que quando ela amaldiçoou-a disse que nada na terra poderia quebrar a maldição. Triste.
Ela começa a pensar numa forma de salvar Aurora de seu fim trágico, já que acredita que amor verdadeiro – o lengalenga de um beijo de amor verdadeiro, foi a condição da “Bruxa Má” para que a maldição se quebrasse – não existe. Aurora pensa nessa solução, ela irá viver junto com Fada Madrinha no reino dos Moors, e um dia antes de fazer dezesseis anos decidi contar para “as tias” – o trio de fadas desastradas que cuida dela – que as deixará, enquanto pensa em como dizer isso conhece Philip, - o príncipe que sem grandes surpresas, ela se apaixona, e vice-versa – que cruza seu caminho, eles conversam um pouquinho e já decidem que se amam, porém ele segue para o castelo do rei, prometendo encontra-la ali novamente.
Porém isso não acontece. Pois ao dizer para “as tias” seus planos, elas lhe contam da maldição, e depois de uma breve conversinha com Fada Madrinha – que minha nossa, ela finalmente descobri ser a tão temível Malévola – e saber da verdade corre ao encontro do pai, o rei Babaca-Cruel, que fica furioso por ela ter voltado antes – ela deveria voltar somente um dia depois de fazer dezesseis anos – a tranca num quarto. O grande erro dele. Ela começa a ouvir uma voz que a chama. A boba Aurora sai do quarto – numa passagem secreta (queria tanto morar numa casa com passagens secretas) – e vai atrás da roca. Tudo culpa do feitiço. 
Nesse meio tempo, Malévola pôs o principezinho Philip para dormir, transformou seu espião/corvo de estimação num cavalo, e corre para o castelo do rei Stefan, lá indo contra todas as probabilidades consegue não apenas entrar, mas também salvar a bela adormecida, não com um beijo do príncipe Philip, mas com o seu próprio beijo, mostrando assim que quando se diz amor verdadeiro, não necessariamente quer dizer amor entre homens e mulheres, mas qualquer tipo de amor verdadeiro. E é linda a cena. Elas decidem deixar o castelo, mas são impedidas pela loucura do rei Babacão-Cruel que armou uma armadilha para a ex. 
E numa cena “tá doido” acontece uma das coisas mais incríveis do filme: Malévola, manda Aurora correr para se salvar, e tenta salvar (a si mesma e) o seu companheiro fiel transformando-o num dragão ( e caramba, que efeitos especiais!). Mas, isso não é suficiente para salvá-los. Quando tudo parece estar perdido, as ASAS (que Aurora ao fugir, encontrou e libertou) aparece e fundindo-se de novo no corpo da dona e salva o dia! Nesse momento acontece uma luta - meio boba – entre o Babacão-Cruel e a Fada. E aquela velha história, o bem superou o mal, ou seja, já que o mal nesse caso era Stefan, o ganancioso, ele... Puft. 
Não vou dizer o que acontece, por que você tem que assistir ao filme, é incrível, e se eu te contar o que acontece com o rei, perde a graça, só o quero que você saiba é que Aurora é a pessoa que unifica o reinos. E cara que coisa linda. 
Para resumir, Angelina Jolie mais efeitos especiais mais uma boa direção (incluindo da própria Jolie) mais um elenco bonito e talentoso, resulta em quatro belíssimas estrelas só não dou cinco porque com exceção de “Titanic” filme nenhum, nem mesmo Harry Potter que é incrivelmente incrível, ganha cinco estrelas minhas. June Oliveira PS. “Titanic” só ganhou cinco estrelas, por que é uma velha paixão de infância e, foi o filme que fez eu me apaixonar pela primeira vez por alguém que não era real, mas se eu assistisse hoje pela primeira vez não daria cinco estrelas, porque eu iria achat alguma coisa que faria me.dar quatro e nak cinso estrelas, então, leve de boa esse quatro estrelas de Malévola,  okay?!

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Sobre ser um leitor

"Essa garota é estranha, só fica lendo." "Não sei porque você perde tempo lendo os livros quando já tem os filmes." "Ela não lê, come livros." Posso apostar que você, leitor, assim como eu, já ouviu frases desse tipo. Eu geralmente, não me importo. Sabe porquê?
Bom, eu duvido que essas pessoas já foram reis e rainhas de Nárnia, que essas pessoas saibam da existência de uma escola de magia no Rio de Janeiro, ou ainda, que enfrentaram vários zumbis em um mundo pós-apocalíptico.
Pessoas que não sabem o que é ler, que acham ler chato, são pessoas sem imaginação, não sabem como é conhecer um Gus Waters, não sabem como é mágico abrir um livro que estou esperando a tempos... Não sabem como nós leitores sofremos esperando o próximo lançamento do nosso autor preferido... Essa pessoas não sabem o que estão perdendo. Não imaginam que "num monte de páginas cheias de pó", vivem criaturas tão incríveis.
Sem mais delongas, eu não posso fazer você ler um livro, mas já te dei X motivos para que você vire um leitor e quem sabe até um leitor incompreendido.

terça-feira, 10 de junho de 2014

Playlist #1

Boa tarde Leitores Incompreendidos!

Hoje venho trazer para vocês uma playlist montada pelo ~Vini, para ouvir é só clicar no play!




Então, curtiram?

segunda-feira, 9 de junho de 2014

O sucesso do chocolate na TV e nos livros


            
Se você tem entre 10 e 25 anos provavelmente já assistiu ao filme "A Fantástica Fabrica de Chocolate" tendo o magnifico Johnny Depp no papel de Willy Wonka, e provavelmente ficou como muitos desejando ter o seu próprio Umpa Lumpa, ou no minimo ter a sorte de Carlinhos
(na tradução, qual o problema das editoras em manter o nome dos  personagens, custava deixar Charlie?) e se tornar dono da maior e melhor fabrica de chocolate do mundo! 


Agora, vou reviver esses seus sentimentos ao dizer que o livro com mesmo titulo é delicioso (partindo do pressuposto que um livro pode ser delicioso, mesmo não sendo comestível)!


Um livro pequeno  (muito pequeno, 195 paginas), sem muitas novidades em relação ao filme, mas com toda a beleza e graça da escrita simples de Roald Dahl - autor de grandes sucessos infantis, provando isso a maioria deles receberam adaptações para o cinema, como aconteceu com "A Fantástica Fabrica de Chocolate" que teve sua primeira adaptação em 1971 com Gene Wilder como o excêntrico Mister Wonka - e facilmente entendido por ser um livro infantil, mas não é infantil chato do tipo: "Deus eu não tenho mais sete anos para achar esse livro legal", eu gostei tanto que ele é o mais recente titulo da minha lista de "releia", mas antes que alguém diga "você deve só gostar de romancinho, para gostar desse livro", eu digo e afirmo: SOU FÃ INCONDICIONAL DE GEORGE R. R. MARTIN, QUE NÃO ESCREVE NADA DE ROMANCINHOS BOBOS!


Então, o que você ainda está fazendo aqui terminando de ler esse post em vez de estar com um exemplar da história do menino pobre, mas de bom coração, que por esse motivo, além de ter realizado seu maior sonho - e ter saído da pobreza absoluta que vivia - conhecer a fantástica fabrica do senhor Wonka e o próprio Wonka, ganhou o maior presente que alguém poderia querer.  Chocolate para toda a vida!

sexta-feira, 9 de maio de 2014

10 motivos para ler todos os dias

Além de ser uma paixão, a leitura também traz vários benefícios para sua vida. Confira:

1 - Estímulo mental

O cérebro necessita de treinamento para se manter forte e saudável e a leitura é uma ótima maneira de estimular a mente e mantê-la ativa. Além disso, estudos mostram que os estímulos mentais desaceleram o progresso de doenças como demência e Alzheimer.


2 - Redução do estresse

Quando você se insere em uma nova história diferente da sua, os níveis de estresse que você viveu no dia são diminuídos radicalmente. Uma história bem escrita pode transportá-lo para uma nova realidade, o que vai distraí-lo dos problemas do momento.


3 - Aumento do conhecimento

Tudo o que você lê é enviado para o seu cérebro com uma etiqueta de “novas informações”. Mesmo que elas não pareçam tão essenciais para você agora, em algum momento elas podem ajudá-lo, como em uma entrevista de emprego ou mesmo durante um debate em sala de aula.


4 - Expansão de vocabulário

A leitura expõe você a novas palavras que inevitavelmente elas serão incluídas no seu vocabulário. Conhecer um número grande de palavras é importante porque permite que você seja mais articulado em seus discursos, de maneira que até mesmo a sua confiança será impulsionada.


5 - Desenvolvimento da memória

Quando você lê um livro (especialmente os grandes) precisa se lembrar de todos os personagens, seus pontos de vista, o contexto em que cada um está inserido e todos os desvios que a história sofreu. A boa notícia é que você pode utilizar isso a seu favor, fazendo dos livros um treino para a sua memória. Guardar essa quantidade de informações faz com que você esteja mais apto para se lembrar de eventos cotidianos.


6 - Habilidade de pensamento crítico

Já leu um livro que prometia um mistério confuso e acabou por desvendá-lo antes mesmo do meio da história? Isso mostra a sua agilidade de pensamento e suas habilidades de pensamento crítico. Esse tipo de talento também é desenvolvido por meio da leitura. Portanto, quanto mais você lê, mais aumenta sua habilidade de estabelecer conexões.


7 - Aumento de foco e concentração

O mundo agitado de hoje faz com que sua atenção seja dividida em várias partes, de modo que manter-se concentrado em apenas uma tarefa torna-se um desafio. Contudo, livros com histórias envolventes são capazes de desligar você do mundo ao redor, fazendo com que sua atenção esteja inteiramente voltada para o que acontece na trama. Embora você não perceba, esse tipo de exercício ajuda você a se concentrar em outras ocasiões, como quando precisa finalizar um projeto urgente.


8 - Habilidades de escrita

Esse tipo de habilidade anda lado a lado com a expansão do seu vocabulário. Assim como a leitura permite a você ser alguém mais articulado na fala, também vai ajuda-lo a colocar com mais clareza os seus pensamentos no papel. Isso vai dar a você a chance de produzir textos com mais qualidade, não apenas de vocabulário, como também correção gramatical e ideias mais ricas.


9. Tranquilidade

O fato de envolver você em uma história e livrá-lo do estresse cotidiano faz do livro uma ótima ferramenta para alcançar a paz interior. Nos momentos de estresse, procure se distrair do que acontece com uma história que atrai seu interesse. Isso vai acalmá-lo e ajudá-lo a melhorar seu humor.


10. Entretenimento a baixo custo

Muitas pessoas acreditam que o conceito de diversão está diretamente ligado aos altos custos de uma viagem ou mesmo de uma festa. Contudo, se você encontrar um livro que chame a sua atenção, poderá viajar sem sair da sua casa.



domingo, 4 de maio de 2014

3° Turnê Intrínseca - Belo Horizonte e avisos.

Fala meu povo querido! Não, não estamos mortos. Sim, estamos sem tempo. Gente, tá complicado. Aliás, está muito complicado, e vocês já devem ter notado. Mas estamos reativando o blog, e o post de hoje e sobre a 3° turnê da Intrínseca que ocorreu ontem (03/05) aqui em BH. 

A turnê esse ano ocorre em 17 cidades, Belo Horizonte foi a 15° cidade a receber a galera da Intrínseca. Só aqui foram quase 250 pessoas que compareceram na loja da Livraria Leitura do Minas Shopping. Eu e minhas amigas saímos da faculdade e fomos para a Leitura onde foi distribuído essas pulseiras, cada uma tinha um número que seria usado para a realização de alguns sorteios. 



Estava marcado para começar as 15:00, e eles foram pontuais. Lá a equipe da Intrínseca nos contou a história da editora, falaram um pouco sobre os próximos lançamentos, mostraram alguns trailers, falaram também do concurso cultural que está acontecendo para a XXIII Bienal do Livro em São Paulo (Lembrando que estaremos cobrindo a Bienal esse ano), abriram um espaço para algumas perguntas e no fim, todos que participaram do evento ganharam essa maleta, com alguns mimos. Eu filmei algumas coisas e o vídeo deve ir ao ar ainda hoje, enquanto isso você pode conferir as fotos da maleta e os mimos que vieram nela.



Marcadores




Bloquinho de notas





Bottons


Informativo com todos os lançamentos


 Adesivos para colar na maleta. (Só não tive coragem ainda. Haha!)





sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Conheça: O Caçador - As trevas da verdade


Victor Bulhões

Sinopse:


Adrian é um jovem que, sem saber, possuía o sangue sagrado dos caçadores em suas veias. Nascido e criado na Romênia por seu avô Bernard, seu único companheiro e mentor, que lhe ensinou todos os valores que precisava aprender para ser um bom caçador, um homem honrado e benevolente. Foram longos anos de paz, tudo caminhava para que se tornasse apenas um homem que vivia com o que a mãe natureza tinha a oferecer... Até o momento em que um misterioso viajante traz notícias de seu pai, há muito tempo desaparecido. A verdade obscura que lhe fora escondida será finalmente revelada.
Criaturas que habitavam os seus piores pesadelos virão à tona. Está na hora de abraçar seu destino . Seus dons adormecidos serão usados novamente para combater as trevas que reinam sobre a humanidade. A guerra está apenas começando.


Skoob  

Eu já li os três primeiros capítulos (tem aqui) e adorei. Estou louca para adquirir o meu. Não deixem de conferir, vale a pena.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Resenha: Orgulho e Preconceito


Autora: Jane Austen
Páginas: 302
Editora: Martin Claret
Ano de publicação: 2009 (essa edição)


Sinopse:

Na Inglaterra do final do século XVIII, as possibilidades de ascensão social eram limitadas para uma mulher sem dote. Elizabeth Bennet, de vinte anos, uma das cinco filhas de um espirituoso, mas imprudente senhor, no entanto, é um novo tipo de heroína, que não precisará de estereótipos femininos para conquistar o nobre Fitzwilliam Darcy e defender suas posições com perfeita lucidez de uma filósofa liberal da província. Lizzy é uma espécie de Cinderela esclarecida, iluminista, protofeminista. Neste livro, Jane Austen faz também uma crítica à futilidade das mulheres na voz dessa admirável heroína — recompensada, ao final, com uma felicidade que não lhe parecia possível na classe em que nasceu.


Orgulho e Preconceito merece toda a fama que tem. É um livro maravilhoso, em toda sua gloria, que nos encanta e merece o titulo de imortal. Narra a vida cotidiana de pessoas comuns do século XVIII, mais especificamente a história de Elizabeth Bennet e Fitzwilliam Darcy, geralmente chamado apenas de Mr. Darcy. Mr. Darcy chega à cidade de Meryton, em Hertfordshire (Inglaterra), onde não é bem visto pela sociedade local, mesmo sendo dono de uma enorme fortuna, pois ele é arrogante e orgulhoso, e nas poucas vezes que está em público não se socializa, apenas fica quieto no seu canto, sendo muitas das vezes polido, e até mesmo grosso, o que para a sociedade da época é um crime enorme. Inclusive ofende, e muito, Elizabeth ao dizer num baile que ela não o tentava o suficiente para dançar com ela. Com o orgulho ferido, Lizzy somente enxerga em Mr. Darcy alguém extremamente ruim. Principalmente depois de conhecer George Wickham, e este dizer grandes mentiras sobre Mr. Darcy, mas com tudo que Darcy havia feito, até mesmo eu (que costumo ser desconfiada) teria acreditado nas mentiras do belo Wickham. Mas ao decorrer do livro a verdade vem à tona, o que costuma constranger bastante a protagonista, que está determinada a se afastar. Seu afastamento dura pouco, pois o destino trata de promover encontros entre ambos. Nesses encontros, Lizzy conhece cada vez mais o verdadeiro caráter de Darcy, e quando percebe está totalmente apaixonada, e cá entre nós, se fosse eu no lugar dela, aposto que também teria me apaixonado. Mas Lizzy tem ainda dúvidas sobre os sentimentos de Darcy, por isso prefere não dizer nada. Até que um dia ela o agradece por ter salvado sua família (não vou dizer o que ele fez, por que não quero soltar um spoiler, digo apenas que ele ajudou num assunto referente a desmiolada da irmã mais nova de Lizzy, Lídia), durante a conversa ele diz que fez tudo o que fez pensando no bem da Lizzy, e foi nesse ponto que me apaixonei totalmente por ele. E é a partir desse ponto que o “felizes para sempre” se torna nítido, porque antes disso, se você nunca ouviu falar da historia de amor desses personagens (coisa bastante difícil, porque tanto outros autores como o cinema varias vezes faz menção ao amor entre eles), fica na duvida se eles realmente vão ficar juntos, pois houve mais desencontros do que encontros entre Lizzy e Darcy.

 "Em vão tenho lutado comigo mesmo; nada consegui. Meus sentimentos não podem ser reprimidos e preciso que me permita dizer-lhe eu a admiro e amo ardentemente."


 Acredito que “Orgulho e Preconceito” é tão bem visto até hoje, mais de duzentos anos depois de seu lançamento, pelo fato de contar uma historia de amor que realmente pode acontecer, e não aquela típica história que nós leitoras estamos acostumados, onde o mocinho conhece a mocinha, um dos dois é rico o outro é pobre, eles se apaixonam, estão felizes, mas então alguém os separa (ou a idiotice de um deles, ou de ambos), e eles passam o livro todo entre idas e vindas, para então no finalzinho do livro ficarem juntos e viverem felizes para sempre (calma, eu gosto desse tipo de livro,  inclusive meu livro preferido é “Um Conto de Fadas”, dá para perceber pelo título que é exatamente o que falei). Não é esse tipo de história, está certo que Darcy é bem mais rico que Lizzy, e eles vencem o preconceito da sociedade (e o de Darcy) para terem o seu felizes para sempre. Não existe vilão em “Orgulho e Preconceito”, os vilões são justamente o orgulho e o preconceito dos protagonistas, mas tenho certeza que eles são tão amados até hoje por seu orgulho e preconceito, e por causa de seus gêneros tão diferentes e tão iguais. Lizzy e Darcy são pessoas fictícias de séculos atrás, que podem perfeitamente ser alguém desse século, pois é essa a pegada da historia, contar o cotidiano de pessoas comuns, que com diferenças das roupas e do modo de falar, pode ser perfeitamente você, eu, sua irmã, seu vizinho, enfim pode ser qualquer um, em qualquer época!

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Resenha: Adeus à humanidade


Autora: Marcia Rubim
Páginas: 392
Editora: Novo Século
Ano de publicação: 2012



Sinopse

Uma paixão acendendo após mais de um século de escuridão.Uma doença atual apagando a luz de uma vida.Somente sua mordida poderia curá-la.Apenas seu tipo sanguíneo seria capaz de matá-lo. Como um amor tão improvável sobreviveria? Do que você seria capaz de abdicar para salvar e vivenciar, mesmo que por pouco tempo, um amor jamais sentido antes? Da cura de milhares de humanos? Da própria vida? Stephanie tinha todos os motivos do mundo para não acreditar em seres míticos ou na felicidade, mas vai descobrir que estava totalmente enganada. Sua alma-gêmea existe! O problema é que a linha do tempo que a separa do amor eterno é muito tênue. E somente um milagre possa uni-los novamente. 

“Adeus à humanidade” é um livro nacional, da autora Marcia Rubim.

O livro é narrado por Stephanie, uma jovem de vinte e poucos anos que mora com a mãe, o padrasto e seu meio irmão. Seu relacionamento com o pai é ótimo, apesar de ele morar em outro país.
A garota teria uma vida perfeita, se não fosse o vazio que a acompanha.
Stephanie não acreditava no amor, nunca se interessou e muito menos se apaixonou por alguém.

"Eu não era feia, apenas... comum.
Sabia que podia atrair muito rapazes. Bem, digamos que não os mais bonitos. Entretanto, também não era isso o que me interessava, embora não soubesse especificadamente o que buscava neles, ou se realmente queria buscar algo."

Ela recebe um convite de seu pai para cursar a faculdade nos Estados Unidos, onde ele mora. Acaba aceitando o convite e assim se forma em enfermagem.
Sua vida muda drasticamente quando seu padrasto é assassinado e seu pai desaparece. Com a mãe em depressão, a jovem precisa arrumar um emprego para sustentar a família. Sendo assim, ela se muda para São Paulo, onde teve uma oportunidade em um hospital.
É aí que ela conhece o Dr. Richard, um médico incrivelmente lindo e mal-humorado. Ela não o suporta, ao mesmo tempo em que se sente atraída por ele.
Stephanie se vê cada vez mais apaixonada, apesar de todas as grosserias do doutor.

"Teria que manter um controle sobre-humano para continuar ali... O que mais me dava raiva nessa história é que, mesmo com tudo o que havia acontecido precisava admitir: algo nele me deixava balançada, e estava plenamente certa de que não era decorrente da sua beleza rara."

Ambos tentam camuflar seus sentimentos, até que o amor fala mais alto.
Como nem tudo são flores, alguns segredos são descobertos e o relacionamento é abalado.
Em meio desses problemas, poderia esse amor sobreviver?

“Não importa a eternidade que leve até que se encontre o verdadeiro amor, e sim a intensidade com que o sentimos quando ele se manifesta em nossas vidas.”

A autora nos deixa envolvidos do começo ao fim, com uma narrativa gostosa de se ler.

“Adeus à humanidade” é um livro super recomendado por mim, já está na lista de favoritos.

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Metas 2014 - Amanda Amaral

Aqui vai uma pequena lista de alguns dos livros que pretendo ler. Como todos sabemos, ela vai crescer muito ainda até o fim do ano, mas esses são alguns dos que tenho certeza que lerei. Bom, vamos lá:

Quem é você, Alasca? – John Green

Bela maldade – Rebecca James

Vidas trocadas – Katie Dale

Roubada – Lesley Pearse

Cante para eu dormir – Angela Morrison

A linha – Teri Hall

Série Dexter – Jeff Lindsay

Doce vampiro – Flynn Meaney

Garota exemplar – Gillian Flynn

Série Myron Bolitar – Harlan Coben

O guia do mochileiro das galáxias – Douglas Adams

Esposa 22 – Melanie Gideon


Esses são alguns dos muitos que pretendo ler. O que acharam? ;)

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Metas 2014 - June Oliveira

   Não costumo ter metas de leitura, por que até bem pouco tempo não tinha o habito de ler mais de uma vez o mesmo livro, por tanto eu não costumava comprar livros, mas mudei esse habito, então criei uma especie de meta para 2014, abaixo alguns dos livros que vou ler (comprar) esse ano (ou no minimo pretendo ler).


A.C.D.G.E.F. OS Ventos do Inverno (claro, só se ele for publicado, coisa que espero ansiosamente) - George R. R. Martin;

A Menina que Roubava Livros - Markus Zusak;
A Noite Maldita - André Vianco;
Extraordinário - R. J. Palácio
Garotas de vidro - Lauren Halsen Anderson 
Laranja Mecânica - Anthony Burgess
Por Isso a Gente Acabou - Daniel Handler
O Caso Laura - André Vianco
O Chamado do Cucco - Robert Galbraith (pseudônimo de J. K. Rowling)
Quem é você, Alaska - John Green;
Série Pretty Litle Liars (6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13 e outros ainda não traduzidos e ou publicados) - Sara Shepard;
Soul Love, A Noite o Céu é Perfeito - Lynda Waterhouse.

Bom, esses são alguns dos livros que, como já disse pretendo muito ler esse ano, e vocês quais livros pretendem ler esse ano??
Beijos... :-D


terça-feira, 28 de janeiro de 2014

A beleza de Jojo Moyes ♡

    
Eu sempre fui de procurar ler livros pelo título do que por alguma outra razão. Se eu gosto do título, leio a sinopse e levo pra casa. Mesmo gostando muito de qualquer livro, por exemplo, do Harlan Coben, e planejar ler mais de Lucinda Riley, Cecilia Ahern e Markus Suzak, não sou de seguir autores. 

       Até ler um segundo livro de Jojo Moyes e se tornar um favorito, assim como o primeiro que li. Depois deles, quero ler todos livros da Jojo...

Jojo é britânica, jornalista e escritora, nascida em 1969. Mora com o marido e com o filho. Tornou-se escritora integral em 2002, com seu primeiro romance Sheltering Rain (sem tradução pro Brasil, mas acho que ficaria algo como Abrigo na chuva haha), mas continuou escrevendo artigos para o The Daily Telegraph”. 

      
Eu fico impressionada por várias razões:
  1. Escrita com uma linguagem gostosa de ler. Linguajar informal e inteligente.
  2. Não é cansativo o livro. As vezes troca de narradores e muda a visão da história, ou escreve em histórias paralelas.
  3. Prende do começo ao fim. É clichê falar isso!! Mas é a verdade. Eu li os dois livros ambos em duas noites, pois não aguentava não saber o final.
  4. Romance diferente. Acho que é o principal da Jojo. Não é aquele romance Sparks (desculpem os amantes...), em que é previsível. A cada página ela surpreende o leitor.
  5. Romance inteligente. Não é aquela coisinha de amor platônico, aquelas coisas que existem em filmes. É um romance mais real, mexe com coisas que sabemos que realmente acontece, e por isso o próximo tópico;
  6. Extremamente comovente. Sim, termino os livros chorando mas nem sempre triste, e sim porque foi tudo lindo demais e sinto pena de ter terminado o livro. 

Por mais N motivos indico a leitura dos dois livros que li:

A última carta de amor (2010) e Como eu era antes de você (2012)



Dois livros lindos por fora e por dentro. Olha a capa desses dois lindos! A última carta de amor parece que foi envolvido por uma fita, e a cada inicio de capítulo tem uma frase tocante com o mesmo laço da capa.
Já Como eu era antes de você, o que é esse rosinha delicado da capa? Não sou fã de rosa e achei perfeito



Ambos são da Intrínseca (editora favoriiiita!!!), o que já dá aquela qualidade pro livro.


Não farei aqui a resenha deles porque o post fica muito grande! Empolguei
Mas aqui estão as sinopse deles:

  

Agora, tenho o projeto de ler todos livros da Jojo Moyes! Aqui a lista com o ano que foi lançado: (alguns não tem tradução!)


  • Retrato de Família (2002) - Porto Editora (2011)
  • Foreign Fruit (2003) ou Windfallen. (Publicado com esses dois títulos)
  • The Peacock Emporium (2004) 
  • The Ship of Brides (2005) 
  • A Baía do Desejo (2007) - Porto Editora (2009)
  • Um Violino na Noite (2008) - Porto Editora (2010)
  • The Horse Dancer (2009) 
  • A última carta de amor (2010)





Espero que tenham leiam !! Beijos.

~ Gabi
(Se não me engano, é Gabriele Sauthier no skoob!:})